Proposta e Objetivos

Visando dialogar com as demandas de ampliação da formação para trabalho no SUS, educação permanente em saúde e ampliação de discussões no campo intersetorial, multiprofissional e interprofissional, propõe-se o projeto denominado Vivências e Estágios na Realidade do Sistema Único de Saúde - VER-SUS/Brasil, como estratégia para qualificação e desenvolvimento dos futuros profissionais e trabalhadores do Sistema Único de Saúde (SUS) do País. O projeto foi pensado com o intuito de aproximar o estudante da realidade do SUS, de ampliar seu olhar em relação à organização do sistema de saúde, seus problemas, desafios e potencialidades. A proposta baseia-se na realização de estágios de vivências e seminários a partir desta realidade e trata-se de uma iniciativa da Associação Brasileira da Rede Unida, que é detentora e executora do projeto.

Objetivos:

  • Organizar as Vivências no SUS (atividade de imersão) e Seminários em território nacional, para oportunizar o encontro dos atores sociais que compõem o Sistema Único de Saúde, por meio de discussões sobre o trabalho em equipe, gestão, atenção à saúde, educação e participação social, arte e cultura, visando a integração ensino-serviço no campo da saúde;
  • Realizar atividades de Educação Permanente em Saúde em diferentes cenários e com múltiplos atores do SUS;
  • Potencializar o compromisso ético-político de estudantes (graduação, residência e técnico da área da saúde) e demais atores envolvidos (docentes, trabalhadores do SUS, gestores, movimentos sociais) com os processos de Reforma Sanitária e a construção do SUS;
  • Contribuir para formação técnica, científica e política dos atores envolvidos na perspectiva do amadurecimento de práticas interprofissionais, interdisciplinares e multiprofissionais para o trabalho colaborativo em saúde;
  • Contribuir para o debate sobre projetos político-pedagógicos dos cursos de graduação e sobre a implementação das Diretrizes Curriculares Nacionais no campo da saúde, de forma que contemplem as necessidades da população brasileira;
  • Estimular a inserção dos estudantes nos espaços de atuação e reivindicação de direitos, como no Movimento Estudantil e em outros Movimentos Sociais;
  • Provocar no estudante e nos demais participantes o compromisso ético-político nos processos de transformação do setor saúde, refletindo acerca do seu papel enquanto agente construtor e modificador das práticas sociais;
  • Referenciar as práticas pedagógicas e as lutas sociais do campo da saúde e de populações historicamente excluídas como um instrumento de apoio à formação dos estudantes e demais participantes e de construção da hegemonia de um projeto de sociedade: Includente, Democrática e Plural;